INSIDE NOW PODCAST

INSIDE NOW PODCAST

Dr. Silvestre Abreu: “Em termos globais, o número de consultas em 2020 foi cerca de 10% superior”

Tempo: 16m58s

A INSIDE NOW esteve à conversa com o Dr. Silvestre Abreu, diretor do Serviço de Endocrinologia do Hospital Central do Funchal, sobre o impacto da pandemia no diagnóstico, acompanhamento e tratamento dos doentes com diabetes.

Uma das alterações observadas na organização do serviço foi implementada a 17 de março, data a partir da qual todas as consultas passaram a ser realizadas via telefone, tendo o modelo presencial sido retomado no final de maio e mantido até ao momento.

"Isto significa que o nosso movimento assistencial foi ligeiramente prejudicado, à volta de 200 consultas de primeira vez, que não foram feitas, no período de confinamento", começa por referir o especialista, ressalvando que, em termos globais, o número de consultas em 2020 foi cerca de 10% superior, face ao ano anterior.

Já no caso dos internamentos, foi registada uma "queda drástica", que ronda os 80%, embora não tenha sido notada "grande diferença", em termos de número de doentes com descompensações metabólicas. "Portanto, até podemos dizer que houve uma diminuição de situações agudas relativamente à diabetes que foram ao Serviço de Urgência e também não obtivemos grande número de mortalidade por COVID-19 nos nossos doentes", reconhece.

A título de exemplo, revela que, nos últimos três meses, tiveram três doentes com diabetes tipo 1, jovens, internados devido ao novo coronavírus, aos quais não houve mortalidade nem qualquer morbilidade associadas.

Na Madeira, existe também um sistema que integra "um médico sempre de prevenção" e dá resposta ao hospital e a aos centros de saúde: "[Para] Todas as situações identificadas em todos os centros de saúde da Região Autónoma relacionadas com o Serviço de Endocrinologia há com contacto telefónico, há uma discussão da situação e, se considerarmos que é urgente, o doente ser observado e vem no dia seguinte, ou na semana seguinte".

Este formato serve também "muitas vezes" para prestarem apoio aos colegas no ajuste da terapêutica, discutindo casos concretos por telefone. 

O Dr. Silvestre Abreu sublinha que a diabetes tem uma característica relativamente diferente, em relação a outras patologias, existindo um grande investimento no ensino e na educação dos doentes.

"Felizmente também, hoje em dia, temos instrumentos muito mais simples de autovigilância e autocontrolo com os sistemas de monitorização contínua que nós privilegiamos nas pessoas que fazem insulina. Isso faz com que o lidar com esta situação seja mais simples", sustenta. 

Nesta conversa, houve ainda espaço para falar sobre as Jornadas da Diabetes da Madeira, que, em princípio, serão realizadas nos dias 14 e 15 de outubro.

Oiça a conversa na íntegra e conheça melhor a realidade vivida pelo Serviço de Endocrinologia, pelas palavras do seu diretor.

Partilhar
Contacte-nos

insidenow@newsfarma.pt


+351 21 850 40 65

Edifício Lisboa Oriente
Av. Infante D. Henrique, 333 H, Esc. 37
1800-282 Lisboa
PORTUGAL

Não tem conta? Registe-se!